O risco de incumprimento nos Emirados Árabes Unidos

Setores como alimentação, automóvel, bens de consumo duradouro, construção, eletrónica, maquinaria, metalurgia, serviços e têxtil apresentam um elevado risco de incumprimento.
 

Alimentação - Degradação do risco de médio para elevado  

As vendas foram afetadas negativamente pelas medidas de confinamento e os pontos de venda de alimentos a retalho perderam faturação. A concorrência permanece elevada, enquanto o volume de negócios se vê afetado pela diminuição da população no Dubai, que será de 10% em 2020. Prevê-se um aumento dos pagamentos em atraso neste segmento.

 

Automóvel e transportes - Degradação do risco de médio para elevado

Devido à recessão económica, as vendas nacionais de veículos de turismo e comerciais estão a diminuir, o que gera um aumento do risco de crédito para o segmento das vendas de automóveis a retalho. O segmento de transporte viu-se afetado pelas medidas de confinamento e pela diminuição da procura logística. O segmento do transporte aéreo foi gravemente afetado.

 

Bens de consumo duradouro - Risco elevado

O mercado nacional de bens de consumo duradouro continua a ser caraterizado por uma forte concorrência, margens de um dígito, baixas barreiras à entrada, alto endividamento das empresas e apoio bancário prudente. O consumo de bens de consumo não-alimentar diminuiu devido às amplas medidas de contenção que levaram ao encerramento temporário de centros comerciais e lojas. O consumo das famílias deverá contrair 1,5% este ano. Os distribuidores presentes nas zonas de livre comércio no Dubai, que redistribuem para o Médio Oriente e África, veem-se afetados pelo forte declínio da procura nesses mercados finais. Atrasos nos pagamentos e incumprimentos prolongados permanecem elevados devido à deterioração da procura, a problemas de fluxo de caixa, concorrência agressiva e falta de apoio dos bancos. O nível de incumprimento no setor do retalho de produtos não alimentares deverá aumentar, principalmente no Dubai.

 

Construção e materiais de construção – Risco elevado

A indústria já estava a funcionar mal antes do surto de coronavírus na medida em que o modesto crescimento económico dos últimos dois anos impediu um aumento dos gastos em projetos de construção. Isto provocou um aumento das dificuldades de liquidez e margens reduzidas para as empresas de construção, em especial para as mais pequenas. Devido à recessão e aos encerramentos, as empresas veem-se afetadas por problemas na cadeia de fornecimento, pelo adiamento de projetos e pela redução do volume de encomendas, em especial de grandes investimentos públicos em infraestruturas que sofreram uma redução considerável.

 

Eletrónica e TIC - Risco elevado

A cadeia de valor das TIC nos Emirados Árabes Unidos abrange vendedores, distribuidores, retalhistas de energia, revendedores e outros pequenos retalhistas. Não há fabricação. A maioria dos vendedores e distribuidores estão localizados nas zonas de livre comércio no Dubai e redistribuem para todo o Médio Oriente. Antes do surto de coronavírus, a contração do preço do petróleo já estava a pressionar a economia e os gastos discricionários em TIC. Em 2019, o mercado caraterizou-se por uma forte concorrência, margens baixas e em declínio, baixas barreiras à entrada e relutância dos bancos em conceder crédito. Como a procura interna é impulsionada por expatriados, turistas, feiras comerciais e eventos regulares do setor de retalho de produtos eletrónicos especializados, as medidas de bloqueio afetaram seriamente este setor. Os atrasos nos pagamentos e os incumprimentos prolongados vão continuar elevados.

 

Financeiro - Degradação do risco de baixo para médio

O setor bancário demostrou ser resistente em 2018 e 2019, apesar dos resultados económicos moderados e da deterioração das finanças públicas provocados pelos baixos preços do petróleo. Contudo, o aumento dos problemas financeiros, tanto das empresas como das famílias, em consequência da recessão, poderia dar lugar a mais incumprimentos nos empréstimos bancários e a condições de empréstimo mais restritivas em 2020.

 

Maquinaria e engenharia - Degradação do risco de médio para elevado

As perspetivas de negócio pioraram em resultado da diminuição das encomendas devido à crise económica. A procura interna por parte dos principais setores compradores, como a construção, deteriorou-se.

 

Metalurgia e aço - Risco elevado

Em 2019, a indústria metalúrgica apresentou um rendimento moderado, com uma menor procura por parte de setores-chave como a construção e uma crescente pressão sobre as margens. Em 2020, a situação agravou-se ainda mais com à grave recessão económica desencadeada pela pandemia de coronavírus.

 

Químico e farmacêutico - Risco médio

As empresas de produtos químicos e farmacêuticos apresentam, em regra, registos financeiros e de pagamento aceitáveis, assim como baixas taxas de insolvência. No entanto, a queda da procura dos principais setores compradores teve um impacto negativo no rendimento dos produtos químicos. No curto prazo, a procura de produtos farmacêuticos deverá beneficiar do aumento dos gastos com a saúde.

 

Serviços - Degradação do risco de baixo para elevado

Devido às amplas medidas de confinamento no início de 2020, muitos segmentos tiveram um forte impacto, em especial os hotéis, restaurantes, bares, espetáculos, eventos culturais, agências de viagem e operadores turísticos. Especialmente os setores de serviços no Dubai foram fortemente afetados pela deterioração massiva da afluência de turistas. Espera-se um aumento tanto nos atrasos nos pagamentos como nas insolvências nos segmentos de serviços afetados.

 

Têxtil - Risco elevado

Os grossistas e retalhistas são afetados negativamente pelas mudanças no comportamento dos clientes e pelo aumento da concorrência de novos retalhistas online. O seu desempenho deteriorou-se ainda mais em resultado da diminuição das vendas durante o confinamento no início de 2020 e pela diminuição do sentimento dos consumidores.

Crédito y Caucion 10 de Agosto de 2020